Monday, May 31

"Isn't it ironic? Don't you think?"

A festa não estava boa, apesar de todos os planos que a gente tinha feito. A música também não nos fez melhorar o humor. No lugar onde a gente estava, foi difícil encontrar algum garoto que se destacasse. Esse tem cara de velho, aquele está bêbado demais, o outro é feio demais, aquele fuma feito uma chaminé... Aquele ali... OPA! OPA! VOLTA! Aquele ali é perfeito. Até que enfim uma pessoa decente naquela festa!

Ele preenchia todos os padrões, tinha todas as características do "meu homem ideal". Mas quem era aquele garoto que eu nunca tinha visto antes? Amigo da amiga do melhor amigo da prima de uma colega minha. Xiiiiii... Hum... Mas como que eu vou falar com ele, se nem conhecido ele é?

Quatro horas da manhã. A festa estava tão ruim e eu tinha bebido tanto que já estava morrendo de sono. E ele continuava ali, fora de alcance. Tão perto e tão longe. De repente ele foi ao bar comprar uma cerveja e parou do meu lado. Na hora, eu agradeci a Deus ou a qualquer força superior, porque havia um interesse totalmente não correspondido dele para com a minha pessoa até aquele momento. Isso, ainda bem que eu tive a idéia brilhante de não arrastar o pé do bar!

Eu sorri. E devo ter ficado vermelha... rosa... roxa! Porque geralmente a vergonha toma conta de mim. Tá, mas e agora? O que eu falo? Nem precisei pensar muito. Um segundo depois ele me olhou e disse: “Oi” e então a gente engatou uma conversa. Conversamos sobre tudo. Desde faculdade até cor preferida. E era impressionante, ele era a minha versão masculina...

“-Eu odeio cigarro." “-Eu também!”
"-Eu acredito em horóscopo" “-Eu também. Acredito muito.”
"-Odeio ter que ver casais felizes quando eu estou sozinho" “-Eu também!”
“-Eu adoro filmes de comédia romântica.” “-Eu também!”
“-Minha cor preferida é verde” “-A minha tambééééééééém.”
“-Eu adoro Inglês e sou fluente” “-EU TAMBÉM! Meu Deus! Meu Deeeeeus! Ele é perfeito!”

Onde é que ele estava escondido a minha vida toda que até agora eu não tinha achado? Ele era totalmente feito pra mim. Totalmente mesmo. O meu número. Impossível acreditar, mas era verdade!

Mas, bem, como a Senhora Lady Murphy me ama e tudo o que é bom dura pouco. No meu caso, pouquíssimo, ele olhou pra mim e disse:

“-Eu gosto de homem.” “-Eu também! O QUE? HOMEM?”

Estava tudo perfeito demais pra ser verdade. Ele continua sendo o meu número, a minha versão masculina, quer dizer, nem tão masculina assim... Ele era gay* e na verdade estava falando comigo pra saber se o meu amigo era também. Bem, meu amigo não era e ficamos ambos sozinhos naquela noite...

*Não tenho nada contra os gays, viu? Os adoro! Mas, pô, logo aquele garoto que era perfeito pra mim?

"It's like meeting the man of your dreams and then meeting his beautiful husband. Isn't it ironic? Don't you think?" (Alanis Morissette)

(qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência)

4 comments:

Aline said...

Ó mundo cruel!! Post perfeito!

Paulo Olmedo said...

isso é ficção? se não for, bem-vinda ao clube /o\

gabrieladm said...

pelo menos ele não olhou para os teus cabelos e falou: tá precisando dar um banho de creme nesses cabelos hein. oO

F! said...

eu achei engraçado! e se realmente aconteceu... deve ter sido horrível!